A GOLEADA NÃO PARA

Conheci o Paulo Grimm quando fui presidente da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo. Um jovem engenheiro, sério, correto e muito determinado. Há quase três anos resolveu aproveitar a ascendência germânica e foi morar em Munique com a família.

Conservamos a amizade e nos falamos com alguma regularidade. Além da corrida de rua, dos estudos e de um novo trabalho, o Paulo também abraçou outra atividade na Baviera, e não pude deixar de compartilhar o último relato que ele me enviou, um exemplo claro de que estamos muito atrasados, não só no futebol, mas como país, como cidadãos.

Ao dividir este relato não proponho que tenhamos um modelo idêntico ao da Alemanha em nosso país, mesmo porque temos características próprias e até uma cultura enraizada na captação de jovens da base, mas o interessante aqui é o conceito, seriedade e obstinação em busca de um objetivo.

Costumo dizer que o nosso futebol é o reflexo daquilo que é praticado no Brasil. Para mudarmos o principal esporte nacional, vamos ter que mudar a sociedade também. Esse é o primeiro passo para que a goleada cesse e o jogo volte a ser equilibrado.

Boa leitura e boa reflexão.

“Eu e meu filho jogamos futebol no clube do nosso bairro. Tenho um vizinho que é treinador do time principal do clube e conseguiu uma vaga para mim e para o meu filho. Todo bairro aqui tem um clube de futebol, que é disputado à tapa pelas crianças, e que inclusive possui listas de espera. Acontece às vezes de uma criança ter que esperar alguns anos para conseguir a tão desejada vaga.

Enfim, tivemos uma sorte enorme. Como não temos carro e o clube fica a quase 4 quilômetros da minha casa, tenho que levar meu filho de bicicleta. O treino dura 90 minutos e não vale a pena voltar para casa. Já no primeiro dia me coloquei a disposição do treinador para ajudar no que fosse necessário. Pegar bolas, ser goleiro, enfim…

Logo de cara me dei bem com ele. O co-treinador na ocasião era o filho dele de 15 anos. Que pela idade, já não estava curtindo muito a rotina de tocar treinos. Aos poucos comecei a me soltar durante os treinos e percebi que as crianças estavam curtindo o meu jeito de incentivar e ajudá-las nos treinos. Descobri que os clubes de bairro recebem ajuda da ‘Federação Bávara de Futebol’.

E que o futebol é tratado de forma séria aqui. As crianças fazem treinos de verdade, com exercícios de coordenação, habilidade, etc… Em novembro recebi um telefonema do treinador pedindo que eu fosse ao clube no dia seguinte à noite. Não entendi direito, mas disse que iria. Quando cheguei lá, ele tinha me inscrito junto com outros treinadores, inclusive ele próprio, em uma espécie de curso técnico para treinadores. Este tipo de curso aqui se chama Ausbildung.

É o curso técnico que qualquer profissional tem que fazer para exercer uma profissão. Ou se frequenta uma faculdade ou se faz Ausbildung (padeiro, cabeleireiro, pedreiro, pintor, etc.). Não se consegue trabalhar nem de pedreiro sem um Ausbildung. Exceções para atendente de supermercado, faxineira, etc. Bom, descobri que o curso custa quase 2 mil euros, e que o clube iria pagar para mim. Claro que para o clube não custa isso, mas de qualquer forma, assumiu todos os custos. São três módulos. Eu já terminei dois. No domingo passado, fiquei no clube das 9h00 às 16h00. Tive aula até 13h00 e depois fui fazer a prova prática, que inclui necessariamente ter intimidade com a bola, fazer embaixadas, fazer cruzamentos, cabecear, chutar com os dois pés, driblar, e por aí vai.

Tenho ainda, prova escrita, prova oral, uma coisa que se chama Lehrprobe (tenho que ir à Federação e na frente de uma comissão tocar um treino de 20 minutos, com 12 crianças, sobre um tema previamente conhecido, entregar um formulário com a construção tática do treino, e preencher todos os requisitos como elevar a dificuldade, treinar os dois lados do corpo, falar claramente, demonstrar ser objetivo, corrigir, etc.). Além disso, tenho que fazer 10 horas de hospitação, que significa ir à Federação e assistir a quatro treinos, preencher um monte de formulários sobre estes treinos, colher a assinatura do treinador e entregar.

Após o curso de 8 horas de primeiros socorros, estarei capacitado para ir para o terceiro modulo, e se não faltar em nenhuma aula, recebo uma licença para treinar times amadores, com jovens de até 17 anos. A licença dura 3 anos e após isso terei que fazer uma reciclagem para conseguir a próxima licença de 5 anos.

Durante o curso tive aula de pedagogia, anatomia, como funciona a construção muscular, desgaste, tipos de treino, postura do técnico dentro e fora de campo, preparação para dias de jogo, segurança dentro e fora de campo, e por ai vai.

Ricardo, é impressionante o profissionalismo e a seriedade. Por várias vezes foi dito no curso que a Alemanha não se tornou campeã do mundo à toa. Que foi um trabalho que esta sendo feito faz tempo, e que cabe a nós treinadores amadores, continuar este trabalho.

As crianças são divididas por ano de nascimento.

Eu treino o time dos nascidos em 2008. No nosso clube são dois treinos de 90 minutos por semana e um jogo oficial (pela Federação) no final de semana.

Queria muito dividir isso tudo com você que, além de jornalista, é um amante do esporte como eu. Tivemos várias conversas sobre o rumo que o futebol brasileiro está tomando e vejo claramente que infelizmente como outras coisas, neste ponto o Brasil está regredindo.”

Anúncios

5 Respostas para “A GOLEADA NÃO PARA

  1. Acho que o Paulo esta coberto de razão, pelo visto os nossos dirigentes, e porque não os governantes, locumpletam-se antes de kelgorsr alguma coisa.
    agradeciso Csprioti por participar-nos

  2. Agora sim! esta melhor explicado os 7×1…

  3. Belo relato, ouvi na rádio e desde então fico pensando em como estamos atrasados em quanto nação. Parabéns por compartilhar conosco essa grande lição de civilidade.

  4. A armadilha é dizer que na falta de talento, eles se superam na organização. O problema é que eles também têm talento. O formato, a capilarização e a própria paixão pelo futebol (não é possível que não haja paixão pelo futebol num país onde tem time que consegue 101% da ocupação de seu estádio!!!) ajudam a revelar os talentos. E aí… dá no que dá.

  5. Pessoal, gostaria de apresentar para vocês o http://www.ilow.com.br um site de imagens de atletas amadores e profissionais totalmente grátis. As imagens são em alta resolução e têm autorização de uso. Para se manter grátis, precisamos muito de apoio de blogueiros para divulgação. Quando quiserem usar nossas imagens, se puderem divulgar a fonte para nos ajudar, ficaríamos muito agradecidos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s